Políticas de gestão de pessoas com foco na retenção de talentos e na motivação

Marcel De Almeida Freitas, Leonardo da Silva Mendes

Resumen


Resumo: Hoje não se pode falar em competitividade ou aumento de produção sem mencionar os recursos humanos, que são os bens mais valiosos que as empresas possuem. Assim, devido à importância das pessoas, este trabalho objetiva analisar como as empresas podem usar as políticas de Gestão de Pessoas para motivar e reter talentos, tendo em vista que as organizações são movidas pelos indivíduos que nelas atuam. Para isso, foi feita uma revisão de literatura dos principais conceitos relacionados ao tema e em seguida foi feita uma análise do ranking de 2015 das revistas Exame Você S/A sobre “As 150 Melhores Empresas para Você Trabalhar no Brasil” e sobre as políticas de Gestão de Pessoas de algumas empresas. Concluiu-se que a Gestão de Pessoas deveria ser orientada, sobretudo, para criar condições que favoreçam o desenvolvimento das pessoas, fator essencial para o desenvolvimento organizacional.

Abstract: Today we can not speak about competitiveness or increased of production without mention to human resources, which are the most valuable assets that companies have. Thus, due to the importance of the individuals, this text aims to analyze how companies can use the People Management politics to motivate and retain talents, considering that organizations are driven by people who work there. For this, was made a literature review of principal concepts related to the topic and after was made an analysis of the 2015 ranking of magazines Exame Você S/A, As 150 Melhores Empresas para Você Trabalhar no Brasil (The 150 Better Brazilian Companies for You Work) and about Management People politics of some companies. It was concluded that the People Management should be, mainly, oriented to create conditions that facilitate the development of people, essential factor for organizational development.


Texto completo:

PDF

Referencias


Archer, E. R. (1999). O mito da motivação. In: Bergamini, C. W.; Coda, R. (orgs). Psicodinâmica da vida organizacional – Motivação e Liderança. São Paulo: Atlas.

Bergamini, C. W. (1982). Psicologia Aplicada à Administração. 3 ed. São Paulo: Atlas.

Bianchi, E. M.; Quishida, A.; Foroni, P. G. Atuação do líder na gestão estratégica de pessoas: reflexões, lacunas e oportunidades. (2017). RAC – Revista de Administração Contemporânea, v. 21, n. 1, p. 41-61, jan/fev. 2017.

Chiavenato, I. (1999). Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 17 ed. Rio de Janeiro: Campus.

Chiavenato, I. (2003). Introdução à Teoria Geral da Administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. 7 ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

Dutra, J. S. (2002). Gestão de Pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. 1 ed. São Paulo: Altas.

Fleury, M. T. L. (1999). Cultura e Poder nas Organizações. 1 ed. São Paulo: Atlas.

Gretz, J. R. (1997). Viabilizando Talentos. Florianópolis: GB Comunicações.

GIL, A. C. (2010). Gestão de Pessoas: Enfoque nos papéis principais. 1 ed. São Paulo: Atlas.

Knapik, J. (2008). Gestão de Pessoas e Talentos. 2 ed. Curitiba: Ibipex.

Mascarenhas, A. O. (2008). Gestão estratégica de Pessoas. 1. ed. São Paulo: Cengage.

Maslow, A. Uma teoria da motivação humana. (1977). In: Balcão, Y., F.; Cordeiro, L. L (orgs). O comportamento humano na empresa. Rio de Janeiro: FGV.

Megginson, L. C. (2001). Administração: conceitos e aplicações. São Paulo: HABRA.

Nassar, P.; Figueiredo, S. (2000). O que comunicação empresarial. 7 ed. São Paulo: Brasiliense.

Paz, M.G. T.; Neiva, E. R. (2012). Percepção de mudança individual e organizacional: o papel das atitudes, dos valores, do poder e da capacidade organizacional. Revista de Administração, São Paulo, vol. 47, n. 1, p. 22-37, jan-fev.

Revista Exame Você S/A. (2015). As Melhores Empresas para Você Trabalhar. São Paulo: Ed. Abril.

Severino, A. J. O conhecimento pedagógico e a interdisciplinaridade: o saber como intencionalização da prática. (2002). In: Fazenda, I. C. A. (org.) Didática e Interdisciplinaridade. São Paulo: Papirus.




DOI: http://dx.doi.org/10.15433/ruta.v18i1.867

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2017 Marcel De Almeida Freitas

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.